AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Entrevista, Lançamento

Lu Zia e a “meditação sobre a beleza e efemeridade da vida”

26 Janeiro, 2021 - 12:05

“Mono No Aware” é o novo trabalho de Lu Zia, produtor portuense que olha para o lado mais singelo da vida neste EP de estreia.

O caos instaurado em 2020 obrigou-nos a procurar tranquilidade, cada qual à sua maneira. Para Luis Luzia, parte dessa busca foi feita através de leituras sobre a religião tradicional japonesa Shintoismo, que o ajudou a “consolidar alguns aspetos da sua relação com a natureza”.

“O aspeto restritivo do confinamento salientou a necessidade de procura de um escape”, confessa Lu Zia, que encontrou nessas leituras “a escolha óbvia” para o título do seu EP de estreia, lançado de forma independente e resultado da “ânsia interior” que tem “por criar algo seu” desde cedo, o que o levou a “pegar primeiro na guitarra”, instrumento mais tarde “complementado por pedais, sintetizadores e plugins”.

Formado em Biologia, Luis Luzia estuda sound design e música generativa, numa dualidade académica que se transpõe para a sua música: “procuro sempre moldar texturas orgânicas e naturais com técnicas de produção mais experimentais”, conta-nos o portuense de 22 anos. É por isso que, neste mundo de Lu Zia, há field recordings captados no seio da natureza, misturados com batidas que nos levam até à música de dança do Reino Unido ou ambiências que por vezes nos remetem até países como Japão.

“Mono No Aware”, ou a “meditação sobre a beleza e efemeridade da vida através da observação do mundo natural”, é um trabalho sonhador no qual o portuense compõe uma viagem de 20 minutos marcada por “beats complexos acompanhados por texturas ambient”. Como nos explica o próprio, neste EP procurou “transmitir ao ouvinte a sensação de envolvência pelo mundo natural, daí recorrer a field recordings para os backgrounds e diferentes foleys para complementar a percussão”. Outra das preocupações foi explorar “texturas quentes e nostálgicas de um tape recorder, processando os sons com warps, flutters e noise através de diferentes plugins”.

Mas “esta atração pelo analógico e orgânico não o impediu de trazer texturas digitais para o projeto” – afinal, Lu Zia preocupa-se em “encontrar um balanço entre hardware e software”. Usando sempre um DAW como base para as suas músicas, “grande parte dos sons melódicos” que se escutam vêm de um “sintetizador FM, processado por um pedal multi-fx”.

Muito inspirado pela “onda de artistas DIY/lo-fi dos anos 90 e inícios de 2000”, Lu Zia quer “continuar a trabalhar e moldar a sua estética e produção”. “Não tenho projetos concretos definidos, mas quero explorar alguns novos géneros musicais e também trazer mais alguma ‘portugalidade’ à minha música”, revela-nos o produtor que é também ilustrador.

Enquanto esperamos por esses novos trabalhos, temos uma banda-sonora para nos acompanhar. “Mono No Aware” está disponível nas habituais plataformas de streaming desde dia 12 de dezembro e podes encontrá-lo abaixo:

Direitos de imagem reservados

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p