AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Lançamento, Notícias

:PAPERCUTZ reedita versão japonesa de “The Blur Between Us”

5 Março, 2021 - 10:45

A edição física do álbum de 2013 de :PAPERCUTZ está novamente disponível.

Com a primeira edição esgotada, a versão japonesa de “The Blur Between Us” foi reeditada e está disponível desde esta sexta-feira. Mas não foi fácil: este processo trouxe “desafios na Europa e Estados Unidos, pois muitas das lojas que o irão eventualmente ter de novo disponível estão fechadas e não é fácil de todo importar algo do Japão de momento”. Ainda assim, após algum esforço, a equipa de :PAPERCUTZ conseguiu trazer algumas cópias até à Europa.

“Acordamos que dado o crescimento do Bandcamp e a proximidade dos ouvintes aos músicos por este meio, além da iniciativa Bandcamp Friday, seria a forma ideal de o fazer chegar às mãos de interessados”, explica Bruno Miguel. Afinal, mesmo que “sem grandes nostalgias”, o músico portuense acredita que “desde os temas originais às remisturas, [este] é um trabalho bem interessante”. “Espero que mais pessoas o possam vir a conhecer”, confessa.

“Como é recorrente neste tipo de lançamentos [para o mercado japonês], a ideia era incluir o alinhamento do álbum original e algum conteúdo exclusivo a uma edição física e como tal contém em si uma selecção de remisturas, um formato que aprecio pelo cruzamento de linguagens com produtores de música electrónica internacionais convidados, algo que eu mesmo tenho feito para outros artistas ao longo dos anos”, conta-nos Bruno Miguel.

Via email, o portuense acrescenta: “Penso que o trabalho destes fala por si mesmo, alguns até, precursores nos seus géneros e recomendo a sua descoberta alargada. O álbum original começa comigo, numa pequena sala montada para o propósito em casa onde foram compostos os arranjos, gravado no Porto pelo nosso técnico de som em estúdio e ao vivo, o Ricardo Gandra, e para o qual contamos ainda com um quarteto de cordas e outro de metais e misturado e produzido por Chris Coady (Beach House, Yeah Yeah Yeahs, TV On The Radio).”

Nesta edição, há oito nomes a remisturar os temas Rivers e Where Beasts Die, dando-lhes novas roupagens, como downtempo ou house. O britânico Joe McBride surge com duas remisturas – uma com o pseudónimo Synkro, outra como Kiyoko – e a ele juntam-se outros compatriotas: Ikonika e o duo Nowa Huta. Como se não bastasse, há ainda lugar para o português Sun Glitters e para Kyson, Stalker e Sweater Beats.

Formado em Informática, o frontman Bruno Miguel nutre uma paixão pela música “desde sempre”. Os seus primeiros passos neste universo foram “bem inocentes”, mas o percurso foi feito sem pressas. Em 2008, as atenções viram-se para o projeto graças ao álbum “Lylac”, que, com alguns EPs pelo caminho, foi sucedido pelo internacionalmente aclamado “The Blur Between Us” (2013) e por “King Ruiner” (2020), este último um dos nossos favoritos do ano transato.

Nos últimos tempos, os :PAPERCUTZ, que em fevereiro passaram pelos Sons à Sexta, têm trabalhado num novo EP, a sair ainda este ano. Apesar de não haver data de lançamento confirmada, dois dos temas – duas novas versões de Do Outro Lado Do Espelho, do álbum “Lylac” – podem ser escutados no site Comunidade Cultura e Arte.

No final de 2020, Bruno Miguel assinou o 30º episódio do podcast N’A CABINE, como podes recordar aqui.

É pelo Bandcamp que podes encontrar a reedição do formato físico, em CD, da versão japonesa de “The Blur Between Us”:

Fotografias por Susana Maia

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p