AUTOR

A Cabine

CATEGORIA
Artigo

Lançamentos favoritos de julho

7 Agosto, 2020 - 13:37

Destaque para a Sucata Tapes em dose dupla, o álbum de estreia de RIVAthewizard, o novo EP de Moreno Ácido e muitos outros.

Jetson G – Palms N’ Cowbells [Habibi Bass, 3 de julho]
House? Manda vir. Electro? Pois claro. Footwork, jungle, juke, hardcore, techno? Porque não? Jetson G é pau para toda a obra. O DJ e produtor nascido em Bilbau faz uso de algumas das suas imensas influências para nos dar um EP pleno em energia. Do electro g-funk quebrado de Talks a abrir as hostes, passando pelo drum‘n’bass pacificador de Jungle Sonora a emanar boas vibes, e ainda pelo electro bem gingado de 000 stress e U So Sexy, é só escolher.



Luar Domatrix – Baía Stamina [Discos Extendes, 3 de julho]
Em junho havia lançado o brilhante álbum “Nova Vida Passada”, pela Domestic Exile, e em julho editou outro irreverente disco, desta feita pela lisboeta Discos Extendes. Rodolfo Brito, ou Luar Domatrix, é sinónimo de uma desconstrução que nos leva pelas suas inúmeras influências, e em “Baía Stamina” há uma missão muito clara de nos fazer vibrar. A percussão é um dos detalhes que chama mais a atenção dos nossos ouvidos, mas este 12’’ é muito mais do que isso. É ouvir para crer.



Special Request – Spectral Frequency [R&S, 3 de julho]
Definitivamente um lançamento digno de um slogan como “finger lickin’ good”. O produtor viaja entre o jungle e o breakbeat num EP de 4 faixas onde reina a eletricidade e uma brisa fresca nas atmosferas sónicas. Os trabalhos de Special Request já passaram por várias labels e este alias de Paul Woolford é simplesmente uma das suas melhores aventuras na eletrónica. A R&S dispensa apresentações, mas, mais de 30 anos depois, continua a quebrar barreiras.



Vários Artistas – Verão Dark Hope [Príncipe, 3 de julho]
A primeira compilação da Príncipe em quatro anos é exatamente aquilo que estávamos à espera: uma bonita reunião do que de melhor se faz nos mundos da batida, kuduro ou tarraxo. Desde as melodias de DJ Lycox, em Estrela, até à marcante letra e beat de DJ Danifox, em Dark Hope, a passar por verdadeiras malhas de nomes como Puto Márcio, DJ Marfox, Nídia ou PML Beatz, “Verão Dark Hope” é um autêntico tesouro de 32 faixas.



Moreno Ácido – Noite e Dia [Infinita, 6 de julho]
Já se aventurou pelo hip-hop e até pelo drum’n’bass com outros projetos, mas é no house que Mário Vinagre tem vivido com o seu alias Moreno Ácido. Assim como noutros trabalhos deste pseudónimo, em “Noite e Dia” o DJ e produtor não se cinge a um só padrão, fazendo uma exploração livre e sem limites, que tanto vicia pelas linhas de baixo como pelo ambiente que é criado. Neste trabalho gratuito e repleto de amor, um dos destaques vai para Louco Por Ti, com voz de Mafalda Pais, faixa que queremos ouvir num bom sistema de som o mais rápido possível.



RIVAthewizard – Loucura Censura [Chinfrim Discos, 6 de julho]
No seu álbum de estreia, RIVAthewizard desdobra-se em sintetizadores para dar vida a uma história envolvente de eletrónica pop. Enriquecido por letras que tocam em diferentes e importantes temas, “Loucura Censura” é fruto de várias influências do músico portuense – french touch, música de intervenção portuguesa, reggaeton, rave – e é uma das obras mais interessantes dos últimos tempos no panorama nacional. O álbum agarra do início ao fim, com transições meditadas, como na passagem entre a parte dois e três de Loucura Censura. Um disco espantoso e imperdível.



Molecular – Space Journey [Delta9, 10 de julho]
Rafael Pinto, produtor e residente em Gaia, atacou pela primeira vez a Delta9 com uma sonoridade techy, contemporânea e muito própria. Não é o seu primeiro lançamento em território estrangeiro, riscando já na sua lista a SkankandBass, Fokuz Recordings, Principle Recordings, Citrus Recordings, Modular Carnage, e, claro, a nacional Counterpoint Recordings. Ficamos à espera de mais.



Vários Artistas – HDNVA001 [Human Disease Network, 17 de julho]
Por entre estilos e tempos diversos, há uma música que nos fez arrebitar as orelhas e dilatar as pupilas de entusiasmo neste primeiro VA da Human Disease Network Recordings. Stream System do francês Arnaud is Dancing é daquelas que nos lança um arrepio espinha abaixo e que, nos volumes devidos, deixaria qualquer pista em alvoroço. Bora lá deitar abaixo uma torrada e um galão, na disco mais próxima, ao som disto?



DJ Boiler Room – Madonna Vai-te Embora [Extended Records, 22 de julho]
Já assinou como Pantera, mas é como DJ Boiler Room que o lisboeta lança este “Madonna Vai-te Embora”, disco que não será fácil categorizar numa estante. É um EP abrangente que assenta numa clara crítica ao atual contexto sociopolítico – olhe-se para o nome da primeira faixa, por exemplo, + Ganza – PSP. Num trabalho rematado por quatro remixes assinados por portugueses, aqui há muito trabalho de percussão, riffs de guitarra ou vozes fantasmagóricas, enfim, uma imensidão de detalhes que fazem deste “Madonna Vai-te Embora” um lançamento de escuta obrigatória.



Law Kola – Mystery Flute Business/ Uplifting Pad Business [Sonic Force, 24 de julho]
A editora londrina Sonic Force, sub-label da Silent Force Recordings, mais uma vez, faz um lançamento daqueles que merecem cinco estrelas Michelin, sempre com o lema “Looking Forward by Looking Back”. Law e Kola põem à prova a qualidade das selecções das samples, drum programming, subs pesados e das paisagens divinais. Esta incrível release está disponível em digital, e para o formato físico foram apenas produzidas 200 cópias.



Neal Burroughs – Dead Soul [Rave Tuga, 24 de julho]
É o primeiro trabalho de Neal Burroughs, um misterioso produtor portuense que a Rave Tuga afirma como reconhecível para aqueles que estão mais atentos, especialmente pelo lado cinemático que é impresso ao longo das sete faixas originais. Com uma ambiência cuidadosamente trabalhada, composta por sintetizadores cinemáticos, claro, e outros pormenores, “Dead Soul” dá vontade de tentar adivinhar quem está por trás deste pseudónimo. Mas, no fundo, para que interessa saber a identidade se temos a música? O truque para apreciar em pleno talvez seja mesmo esse.



Prophetas – Maury Island Reverie [Sucata Tapes, 24 de julho]
“Maury Island Reverie” é a segunda parte de Prophetas, uma homenagem ao misticismo paranóico da segunda metade do século passado. É uma criação de Gonçalo F. Cardoso, que também assina como Papillon, Visions Congo ou Gonzo (alter-ego recém-reformado), para além de integrar a dupla Hair & Treasure. A colagem sonora, cuidadosamente curada, faz justiça à comparação que o autor já fez, em entrevista ao Rimas e Batidas, entre o seu método de composição e a escultura em câmara-lenta. Algures entre a gargalhada cósmica e o ritual ao deus dos circuitos elétrónicos, são 55 minutos e 14 segundos maravilhosamente assombrosos.



Vários Artistas – Selección Magnética [Sucata Tapes, 24 de julho]
Nem sempre é fácil estudar os percursos musicais da música eletrónica, mas isso não impediu Juan José Callarco e Pablo Reche de desenterrar 17 faixas de grande valor histórico das areias do tempo. Para além das mais de duas décadas de idade, a pouca atenção comercial dada a movimentos artísticos locais emergentes, como foi o caso da cena underground argentina, atribui ao trabalho da dupla um teor arqueológico raríssimo de se ver nos lançamentos da atualidade. “Selección Magnética” vale como pedaço histórico-cultural e, esperemos, como inspiração para que saiam ao público mais trabalhos, pesquisas e coletâneas deste género.



Fonzo – Layers [Detox Electronics, 26 de julho]
Já andavam a tocar por aí, maioritariamente em formato live, mas os irmãos Ricardo e Telmo Afonso nunca se tinham fechado em estúdio para trabalhar num lançamento. O primeiro fruto desse trabalho é “Layers”, um EP com três faixas originais e três remixes, assinados por 2Jack4U, Circuit V e Tryängle. Abrigados no techno mas com passagens por influências como acid ou trance, os Fonzo assinam um EP bem psicadélico e hipnótico que ficaria muito bem numa pista, estivessem estas abertas.



Chad Dubz & Quasar – Fantomatique / Vox Dub [Foundation Audio, 31 de julho]
Mesmo no final do mês levámos com o ar fresco dos subs na nossa cara com esta release de Chad Dubz & Quasar. As duas faixas hipnotizantes, com linhas de baixo e ambientes líquidos deixam qualquer apaixonado pelas baixas frequências de boca aberta. É esta a magia do dubstep. E para tornar tudo mais especial, é de apontar que foram impressas apenas 300 cópias em vinil de 10” polegadas.

Textos por Daniel Duque, David Rodrigues, João Freitas e Rui Castro

relacionados

Deixa um comentário



t

o

p