AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Crítica

A Thousand Details – Flesh and Bones [QRZ039]

5 Fevereiro, 2019 - 10:23

A estreia de A Thousand Details na Quartz Rec é feita com um EP que prova a excelência do produtor portuense.

A Thousand Details mostra desde logo a sua carne e osso na música que abre este EP de estreia na editora de Paul Ritch. À partida, Flesh and Bones acentua-se pelo kick contínuo aliado àquilo que parece ser uma corda de baixo solta, cuja vibração se vai escutando ao longo de toda a faixa. Mas rapidamente o cérebro se apercebe que há mais sonoridades a darem vida e corpo a esta música de abertura, especialmente quando a tarola começa a ganhar protagonismo.

No momento em que Flesh and Bones abranda e consequentemente parte para uma ligeira mudança na percussão, aumentando em certa medida a intensidade que se sente, apercebemo-nos que já estamos completamente embrenhados no universo de Gustavo Lima. O mesmo acontece minutos mais tarde, quando a música volta a abrandar mas que, desta vez, dá espaço para compreender a atmosfera na qual é construída, tão precisa e detalhada que só mesmo voltando atrás é que teremos tempo para interpretar – até lá, vamo-nos distraindo com tal imersão. São vários os pormenores que, especialmente perto do fim, nos remetem para um mundo profundo, quase subaquático, do qual não queremos sair.

Mas saímos. O patrão da Reaktivate resgata-nos de Flesh and Bones com Carvokian. A atmosfera penetrante mantém-se – dá até ideia de nos mantermos no mesmo mundo marcado pela profundidade – mas o kick minimamente mais acelerado dá aso para outro abanar de cabeça, tornando-nos numa autêntica peça de automóvel a vibrar com a força gerada pelo motor – ou, aliás, numa autêntica bobblehead que se vai agitando a cada segundo da música. Ainda assim, não é o bombo que dá a verdadeira vida à faixa, mas sim o tal meio e universo que A Thousand Details cria através de, claro, uma centena de detalhes, que vão desde as frequências sintetizadas até ao “simples” jogo de pratos.

Daí, o produtor mantém o mesmo número de batidas por minuto nas músicas seguintes. Assim como nas anteriores, Burgondy é marcada por um lado profundo e hipnótico que é criado através dos detalhes, mas que, desta vez, aparenta ser um mundo fora da terra, no espaço. Já Terpenes, apesar de manter as mesmas bpm, assume-se desde início como a faixa mais furiosa de todo o EP através de um poderoso kick. Aliás, a certa altura parece que só ouvimos a distorção de um dos layers, mas, na realidade, estamos a ser envolvidos por uma fantástica percussão que tem como cúmplice mais uma excelente atmosfera criada por A Thousand Details, que comprova ter mais do que a maturidade necessária não só para assinar um trabalho na Quartz Rec, mas também para criar uma história techno que nos agarra aos auscultadores do primeiro ao último segundo.


relacionados

Crítica

Deixa um comentário

t

o

p