CATEGORIA
Crítica

HAYES Collective – HYS002

3 Julho, 2018

O segundo lançamento da HAYES, HYS002, chegou pelas mãos de -2, Temudo, Ossē e VIL. O formato físico estreou em maio e o digital em julho.

Pôr os auscultadores na cabeça para ouvir HYS002 é como chegar às portas de um club. Preparo-me com ânsia para entrar na festa, e sei que vou apanhar pelos menos três produtores que já ouvi há alguns meses atrás em HYS001: -2, Temudo e VIL.

Não estava a conseguir interpretar os sons graves que escapavam pelas paredes, mas rapidamente percebi. Era -2 com uma certa descoordenação em Scherzo, mas, novamente, refleti e percebi. A robusteza da batida que se fazia sentir era imensa, e o psicadelismo de uma espécie de sinos ambientava-me num autêntico jogo cerebral.

A ansiedade e o mistério só aumentavam o nervosismo e a vontade de ouvir mais. Foi assim que entrei na festa. Comecei a perder-me nos sons que ouvia a cada esquina, e foi aí que surgiu A2 de Temudo. Tratava-se do seguimento de A1, mas o meu corpo não estava a reagir da mesma forma. Não parei de bater os pés com as batidas constantes, fortes e profundas que evidentemente sucediam Scherzo. Estava a ser completamente atingido por balas.

A energia estava certamente à solta na escuta deste EP da HAYES. E tive a certeza disso quando já não me sentia eu. Só soltava movimentos corporais ao som de Quantum Mechanics de Ossē, que, com uma batida altamente intensa e ritmada, juntava-lhe um lado totalmente animalesco e espacial. Em certa medida, mais computadorizado do que as faixas anteriores, algo que despertou um lado completamente selvático.

Por essa altura, a festa já estava no espaço sideral, e VIL fechou-a com Metafora a exponenciar tudo que se fazia sentir. Com batidas constantes, cruzava-me com um ambiente que me remetia para ilhas desertas e pássaros a chilrear agudos. Abriu-me os olhos e a mente para a profundeza do mundo, a profundeza da vida. Faz-me feliz por ter entrado logo desde início.

Ao longo de HYS002, senti-me mais festivo do que no primeiro lançamento, celebrando a música que estes produtores portugueses têm para nos dar. O coletivo já confirmou o próximo lançamento, HYS.K001, e parece que chegam mais dois até ao final do ano.

Só posso estar ansioso pelos próximos.


Deixa um comentário

t

o

p