CATEGORIA
Crítica

Vários Artistas – Intera Vol. 1

8 Janeiro, 2019 - 12:20

O coletivo de Caroline Lethô e Telma comemora o seu primeiro aniversário com o lançamento da compilação Intera Vol.1.

Intera Vol.1 é composto por oito faixas produzidas por artistas portugueses ou a viver em Portugal. Explora um espectro sonoro diversificado que vai desde o house mais melancólico e profundo de Ashok Leylund e ppueblo, passa pelo hipnotismo e acid do techno de Trigher e Valody, segue com um banger de electro de zero_one, continua com bass breaks e breakbeat de Kerox e Tsuri, respetivamente, e termina com um footwork fundido com R&B da Caroline Lethô.

“Na Intera, queremos muito focar-nos em colaborações entre pessoas, porque achamos que a música tem um poder de… ‘unificação’”, como refere Carolina Mimoso, algarvia residente em Lisboa e co-fundadora do coletivo Intera, na entrevista cedida à A Cabine em dezembro.

Rosy Horizon de Ashok Leylund abre as hostilidades desta agradável compilação. Serenidade e tranquilidade são os sentimentos que sobressaem. Um lead synth percussivo e agudo pautam o tempo da música, deixando espaço para o bass brilhar com sutileza e para a percussão, com os pads e os sound effects de diferentes tonalidades a darem uma envolvência espacial que faz qualquer ouvinte viajar por entre nuvens de frequências sonoras.

ppueblo segue-se com Hashtag Faixa Leve, uma faixa de facto leve e com bastante groove, capaz de pôr o pé mais mal humorado a bater no chão, acertando o compasso do kickdrum. A percussão é harmoniosa, o bass é vibrante e o sintetizador principal é absolutamente quimérico. Uma faixa bastante bem consiga e muito bem realizada, que é sucedida por (No 808) at Moni Katoi House.

Trigher, como atrás referido, entra na esfera do acid techno. Leve mas musculada, a faixa induz o ouvinte a deixar-se hipnotizar com a sequência do que aparenta ser o sintetizador clássico do acid house, o TR-303. Sente-se uma progressão constante na música, dominada por high e low hats, e o cowbell que, como o título sugere, não é feita a partir de um 808 (talvez tenha sido feita com um 909?).

Na mesma categoria que a faixa anterior, No Gender de Valody sonda as frequências mais escuras do acid techno, misturando sons uplift com sons mais graves, como é o caso do kickdrum. É uma faixa mais rítmica e mais mexida, provocada pelos efeitos de delay de um sintetizador que faz a bassline e os lead stabs.

Claw de zero_one desdobra a diversidade musical que caracteriza o coletivo da Intera com este electro banger épico. Ritmo acelerado e magnético, novamente protagonizado por uma bassline acid bassline, a faixa é também composta por timbres graves provocados pelo bass, pads futuristas e snares intensos.

Kerox prossegue com Braved The Storm, uma faixa arrojada e volumosa de breakbeat com influências de bass music (post-dubstep) da qual podemos sentir um baixo místico e muito bem trabalhado, batidas bem vincadas e efeitos sonoros com modulações esotéricas. A par de Claw de zero_one, esta música abre o espectro sonoro mais agressivo desta excelente compilação.

Shinjuku Expressway do lisboeta Tsuri retoma a suavidade identificada nas malhas de Ashok Leylund e ppueblo, encontrando um equilíbrio entre a percussão dinâmica e rítmica, e os pads wavy e flutuantes. A mistura é bem conseguida, remetendo-nos para um breakbeat veloz com frequências agudas e vocais energéticos.

Por último, Caroline Lethô, fundadora do coletivo, apresenta-nos Magical, uma fusão de R&B e footwork nitidamente frenética e inovadora. Vocais torcidos, elegantes e sedutores, e a percussão em fast tempo criam uma estranheza muito agradável, despertando o ouvido para novos ritmos e padrões contemporâneos. O destaque desta compilação – afinal, há aqui uma ousadia e execução sublime onde Lethô mostra a versatilidade das suas produções.

Intera Vol.1 é o primeiro VA do coletivo que apresentará a compilação no próximo dia 11 de janeiro, no DAMAS bar, em Lisboa, com zero_one (live), Kerox e Tsuri b2b Telma, onde poderão experienciar a exploração sonora e artística da Intera, um projeto a ter em atenção nos próximos lançamentos e eventos.


relacionados

Crítica

Deixa um comentário

t

o

p