AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Crónica

A capital, a eletrónica e nós a dançar

4 Abril, 2018

Arranca hoje a segunda edição de Lisboa Electronica, o festival cuja programação tem como base diferentes editoras convidadas, trazendo assim, até à capital, o que de melhor se faz por Portugal e pelo mundo. São dezenas de showcases e djs, mas nem só de música se faz este evento que, este ano, decorre ao longo de quatro dias.

Aliás, esta quarta-feira é dedicada às aulas promovidas pela organização no Cineteatro Capitólio, e os convidados são Carlos Maria Trindade, outrora de bandas Heróis do Mar e Madredeus, e Mike Grinser, uma das mentes responsáveis pela Manmade Mastering. Na quinta-feira começa a música, mas Serge Clone da Clone Records e o incontornável Rui Vargas também dão aulas durante a tarde.

Dia 5, o MINISTERIUM CLUB é o palco da noite de Lisboa Electronica – Musiculture 2018. Tudo começa com Lamache e Robin Ordell a representar a Discobar, por exemplo, mas o grande destaque passa pela Werkdiscs com o espetáculo audio-visual ao vivo de Actress e Helena Hauff a fechar a noite com um set de 3h.

Já nos últimos dois dias de festival, a LXFactory é o espaço destinado para acolher os restantes 22 showcases. No dia 6, editoras portuguesas como a HAYES Collective – menosdois e VIL b2b Temudo -, a Piston Recordings ou a Carpet & Snares Records prometem fazer todos dançar, mas é a трип que se realça com Deniro e Nina Kraviz no final da noite.

Para encerrar a festa, Lisboa vai receber, no dia 7, a Pole Group com Tensal, Lewis Fautzi e Oscar Mulero , a Clone Records com Legowelt Music e Serge, ou até a Part of the Gang com Topper e tINI. Além destes, a 0 Helena 0, a Interzona 13 ou a bloop recordings com a Half Baked, por exemplo, estarão encarregues pela vibração que se vai sentir na cidade.

A música eletrónica está viva, de boa saúde e recomenda-se. Na capital, vão-se vivenciar, até sábado, dias de grande êxtase e paixão. Até lá, ergam-se os copos, dancem os corpos.


Fotografia por Lisboa Electronica

relacionados

1

  • Luis Leite

    Reply
    28 Junho, 2018

    Fico satisfeito em que haja uma publicação online sobre a música de dança nacional e internacional. É importante que seja divulgado o que de melhor temos no nosso país nesta área, mas espero que a divulgação e o acompanhamento não fique focada só em algumas pessoas. Felicidades e bom trabalho.

Deixa um comentário

t

o

p