AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Crónica

Dança, Lisboa, dança

9 Março, 2018 - 15:00

Arranca hoje a terceira edição de Lisboa Dance Festival, o evento de música eletrónica que abre caminho para a Primavera. Mas não é por ser Inverno que não há calor espalhado pela capital, e mais precisamente, este ano, no Hub Criativo do Beato.

São cinco palcos com um conceito inovador e criativo, como evidencia o nome do local. Afinal, olhemos para os seus nomes: Fábrica do Pão, Fábrica das Massas, Grillas, Pastelaria e Celeiros. Por entre estes espaços, que prometem deslumbrar os sentidos dos presentes, estará um vasto leque de artistas com um só objetivo: mostrar aquilo que de melhor se faz no mundo da eletrónica.

Portugueses, alemães, americanos… Todos preparados para vos dar música. Exemplos? A residente do Panorama Bar, Steffi, promete ser um dos momentos mais marcantes do evento. Além dela, nomes de excelência como Joe Goddard dos Hot Chip, Monoloc, NAO, Nosaj Thing, Leon Vynehall, Octave One ou Truncate vão garantir uma tremenda qualidade musical no festival.

Mas não é apenas de música que o Lisboa Dance Festival é feito. No segundo dia de festival, sábado, vão haver quatro “talks”, das quais fazem parte uma masterclass de “beats” entre as 16h30 e as 17h com Charlie Beats ou, por exemplo, a conversa “Lisbon is the new What?” com Vítor Belanciano a moderar participantes como Branko ou Ryan Miller da Resident Advisor.

De resto, já sabem qual é a máxima: dançar sem moderação, celebrando exaustivamente a cena eletrónica que se vive no nosso país.


A fotografia é da organização.

relacionados

Deixa um comentário

t

o

p