AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Crónica

Direção: Montemor-o-Velho (ou Forte, aliás)

30 Agosto, 2018 - 20:26

A quinta edição do Festival Forte é um dos eventos que mais aguardamos este ano. Começa esta quinta-feira, às 22h, e estende-se até à noite de domingo.

Chegou aquele momento do ano. Aquele momento que também é de descanso, certo, mas em que é preciso, acima de tudo, ter certeza de que temos (muita) energia para pisar o Castelo de Montemor-o-Velho. É o quinto ano consecutivo em que vamos ouvir atos impressionantes, repetir outros, e principalmente dançar num recinto inigualável.

Para quem é da velha guarda, é óbvio que dançar nesta verdadeira pista não é novidade. Em 2004, por exemplo, aconteceu lá a Loving Techno com Luke Slater, Marco Carola, entre outros. No entanto, os primeiros registos históricos deste castelo datam o século IX, altura em que os cristãos o reconquistaram, e em que provavelmente também se dançou por lá. Napoleão também esteve lá anos mais tarde. Até cenas da história do amor de Inês de Castro e D. Pedro aconteceram neste castelo. Mas agora é a nossa história (não a de amor, isso cabe a cada um).

Os que estiveram presentes em todas as edições sabem do que falamos. Além disso, provavelmente também sentiram um certo espanto quando a organização lançou a campanha de crowd-fundingSave The Forte” em 2017. Com uma excelente produção e cardápio, o Festival Forte foi sempre elogiado pelos presentes como um dos grandes – inevitavelmente! – deixando rastos de tristeza dada a possibilidade de não ser realizada a quinta edição. Felizmente não.

Subamos então, vila acima, em direção àquelas tenebrosas muralhas que tanto vão vibrar connosco lá metidos. Apesar de dar uma ideia de contenção, o menu mantém-se do melhor que há em Portugal. Só de olhar para as sobremesas de cada dia, é certo que cada um de nós quer ter certeza de que vai ter estômago para tal (Donato Dozzy, por exemplo, uma das nossas sugestões para o festival, atua às 19h de domingo).


Confessamos que as saudades são muitas, e estamos ansiosos por matá-las esta quinta-feira, Forte. Aproveitamos para fazer amor no campismo?

relacionados

Crónica

Deixa um comentário

t

o

p