AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Crónica

Dois anos de acabine.pt e o sentimento de dever não cumprido

30 Junho, 2020 - 10:55

Queremos fazer mais e melhor.

Há um ano escrevemos sobre o “sentimento de dever (quase) cumprido”. Agora não podemos mentir: ainda estamos afastados de cumprir o nosso objetivo com plenitude, embora acreditemos que o nosso caminho deva ser feito paulatinamente. Não queremos fazer o que não está ao nosso alcance e o que fazemos tem de ser executado da melhor maneira.

Fizemos dois anos no passado dia 27 de junho. Por esta altura, contabilizamos cerca de 2200 artigos publicados no nosso site. Diariamente, lutamos por levar informação atualizada aos cerca de 8 mil leitores mensais que visitam o nosso site, tendo sempre o mesmo propósito por trás: dar a conhecer a cultura eletrónica portuguesa incansavelmente. Dos agentes culturais aos músicos e DJs, a passar por tantos outros aspetos.

Mas dar a conhecer a cena nacional com uma veemência constante implica que o trabalho jornalístico desta publicação não esteja cingido a meras notícias, que é evidentemente o maior bolo da nossa atividade. Apesar de termos referido em 2019 que procuraríamos fazer “mais artigos, entrevistas, críticas ou novas rubricas”, ainda estamos longe do volume que acreditamos ser importante atingir. Não nos podemos justificar na falta de fundos ou de mão-de-obra – temos apenas de fazer mais.

Neste caminho, claro que há pontos positivos a frisar. Para nós, um dos mais relevantes é a rubrica d’A Cabine no programa Física e Química, na rádio nacional Antena 3. Convidados pelo anfitrião Rui Estêvão, temos levado aos ouvintes aquilo que levamos aos leitores: notícias atualizadas, sempre com foque na música portuguesa.

Acreditamos muito na importância do jornalismo e, por essa e outras razões, criámos A Cabine em 2017, cerca de um ano antes de lançarmos o site. Na altura em que nos começámos a reunir, sentíamos uma lacuna enorme na cobertura da música eletrónica em Portugal e uma certa iliteracia no público que frequenta os eventos de que tanto gostamos, como é caso das festas suadas em clubes com pouca luz.

Há uma ideia generalizada de que os DJs internacionais é que são bons ou que os produtores de fora é que compõem música de destaque. Por aqui, não pensamos assim e queremos ajudar a mudar isso. Acreditamos piamente na qualidade de todos os indivíduos e projetos portugueses e, por isso, estamos todos os dias aqui. Para eles e para ti, por eles e por ti.

Sim, acreditamos que ainda não cumprimos o nosso objetivo. Mas vamos cumprir.

O nosso endereço geral[@]acabine.pt está sempre aberto. Enviem sugestões, candidaturas e o que bem vos apetecer comunicar.

relacionados

Deixa um comentário



t

o

p