CATEGORIA
Notícias

Misfit Trauma Queen volta à produção audiovisual com vídeo para ‘EnterNoise’

28 Setembro, 2020 - 18:34

Depois de GlassJaw, é EnterNoise a faixa que recebe um videoclipe.

Misfit Trauma Queen entrou mais uma vez na órbita do audiovisual com a produção de um videoclipe para EnterNoise. A faixa pertence a “Violent Blue”, o álbum de estreia do produtor e baterista. Em conversa com A Cabine, Misfit explica que a “componente visual surge de uma necessidade de expressão quase ou tão grande como a de fazer música”.

GlassJaw pertence ao mesmo álbum e, há dez meses, viu também uma interpretação vídeo. É David Taylor o nome por trás do universo sónico que sonda correntes de techno, synthwave e EBM. Considera-se um ávido consumidor de cinema e videoclipes, com “tendência para apreciar arte abstrata, desconfortável e muitas vezes repugnante aos olhos do mainstream”, revela.

Em fevereiro, com “Violent Blue” chegaram dez novas faixas que tomaram o panorama nacional de assalto e marcaram presença nos lançamentos favoritos do mês. Para o produtor, “é uma história tão pessoal que é muito difícil conseguir explicar tudo o que envolve”. A essência do álbum, disponível em CD e digital no Bandcamp, assenta numa “viagem abstrata”.

“Somos conduzidos por um carrossel de emoções que estão fora do nosso controlo enquanto nos sentimos meros espectadores”, conta-nos, em analogia ao filme “Locke”. Misfit bebe de várias influências mas, no fim do dia, quer fazer o seu “próprio cocktail”. Enaltecendo a individualidade do artista, menciona Death Grips e Flying Lotus que são “totalmente distintos” e “não estão aqui para soar como mais ninguém”. É essa a aura que quer assimilar no seu trabalho: “ser diferente enquanto abato o meu próprio conjunto de regras”.

No foro visual invoca fortes inspirações de David Lynch. Diz-se capaz de “absorver o [seu] surrealismo” facilmente e é a “emoção e o cinema no seu estado puro” aquilo que o cativa. “De alguma maneira sinto-me em sintonia com a sua perspectiva no cinema e na criatividade em geral”, explica. Para David Taylor, não é suposto a arte “ser para todos nem fácil de entender”. “Sinto o mesmo em relação à minha criatividade: não é suposto trocar a minha imaginação por miúdos”, remata.

O vídeo da EnterNoise relaciona-se com o “ruído” mental sobre a conceção da sua arte, “não só de inseguranças e medos, mas também de coragem, afirmação e destruição do ego”. Numa viagem a uma festa que exprime “diferentes quadros do espectro psicológico e subsconsciente” de Misfit Trauma Queen, a imagem pinta-se com bizarria, inconformismo e crítica social.

Para o futuro, avizinham-se remisturas, colaborações e live acts, além de um corpo de trabalho ainda em desenvolvimento.

O universo imagético de EnterNoise e GlassJaw é o mesmo, mas “qualquer outra relação terá que ser o espectador a deduzir”. Já disponíveis, os videoclipes estão no Youtube à espera das tuas interpretações.


relacionados

Deixa um comentário






t

o

p