AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Lançamento, Notícias

Novo “In Trux We Pux” chega com assinatura de Desilusão Óptica

19 Novembro, 2020 - 17:39

É mais um capítulo no documentário da Favela Discos sobre a música experimental e improvisada da cidade do Porto.

Foi lançado no início desta semana “In Trux We Pux 02”, trabalho composto pela peça Desilusão Óptica, “desenvolvida especialmente para o festival Serralves em Festa 2017, gravada durante os seus ensaios e apresentação”.

O disco está dividido em duas partes, com cerca de 20 minutos cada, e quem está por deste é um coletivo de artistas com ligações à Favela Discos: David Machado, Dora Vieira, João Sarnadas, Nuno Loureiro, Nuno Oliveira, Tito Silva e Xavier Pães desdobram-se em instrumentos de sopro, percussão ou até maquinaria para compor esta peça “influenciada pelo livro Musicophiolia, de Oliver Sachs”.

De acordo com as notas oficiais, “a música de Desilusão Óptica é constituída por dois tipos de músicos/agentes, os produtores de som físico, que se dividem entre flautas, saxofone, trompete, clarinete, guitarras e percussões, e os manipuladores e reprodutores, que lançam samples de gravações anteriores e manipulam o som ao vivo através de delays e loops.”

Desilusão Óptica “pretende explorar uma noção de alucinação auditiva, neste caso ligada à ideia de um som fantasma desconexo do seu objecto”, segundo comunicado. Nesse mesmo texto, lê-se ainda que, “acontecendo numa mistura entre as vibrações físicas do material que provoca o som, e a sua manipulação e repetição, a peça está entre o momento em que acontece, a repetição imediata dos sons que acabaram de acontecer e os fantasmas dos sons passados”.

Para os mais desatentos, “In Trux We Pux é um projecto editorial que partiu do seio do colectivo e Favela Discos e que se desenvolveu na relação com o cenário da música experimental e improvisada do Porto”, com a máxima de registar “uma série de correntes sonoras e de práticas colaborativas que se tem desenvolvido nos últimos anos da cidade”. O primeiro volume saiu em outubro e contou com temas de Arbusto De Bayas, @c & Well e ocp & Patches, entre outros.

“In Trux We Pux 02”, que assinala “a primeira vez que uma peça colectiva da Favela é registada e publicada em disco”, está disponível em versão digital e física (vinil) e pode ser encontrado no Bandcamp ou na Matéria Prima, no Porto.

Fotografia por Renato Cruz Santos

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p