CATEGORIA
Notícias

Nova instalação artística de Jonathan Uliel Saldanha estreia esta sexta no Porto

17 Junho, 2021 - 10:49

Lithium Faust” baseia-se no conceito de teatro vertical e foi especificamente desenvolvido para o Auditório do Teatro Campo Alegre.

O segundo projeto de Jonathan Uliel Saldanha enquanto Artista Associado do Teatro Municipal do Porto (TMP) tem estreia marcada para os dias 18 e 19. Apresenta-se, segundo comunicado, como “uma grande máquina entrópica” atenta às rotas dos satélites enviados para a órbita terrestre. Numa altura em que “não deverá faltar muito para os engenhos artificiais criados pelo homem se passarem a confundir com outros corpos celestes no céu”,  nasce LITHIUM FAUST, uma performance/instalação que faz do palco uma caixa negra e onde o público é convidado a viver o conceito de land art num eixo vertical.

Corre o lítio nas veias destes novos apetrechos, o “novo sangue” que alimenta os materiais das grandes empresas responsáveis por dúbios corpos estelares. Inspirado por esta substância e com base na “lógica de construção de uma nova paisagem”, Saldanha, músico e artista visual, pensou a sala de teatro “como um hangar, cujas dinâmicas vão permitir estabelecer um pacto com o tempo da presença humana”, passando pela “simulação de uma coreografia para robôs de luz” e experiências sonoras.

LITHIUM FAUST aproxima-se em termos materiais de Mercúrio Vermelho, uma peça apresentada em dezembro, “resultado de um trabalho que o artista começou a desenvolver em Kampala, no Uganda, que se intensificou quando se viu impossibilitado de regressar a Portugal” devido às restrições pandémicas. Em 2018, Saldanha já manifestava o conceito de teatro vertical, visível no projeto O Poço, que estreou no DDD – Festival Dias da Dança.

Jonathan Uliel Saldanha é um “construtor sonoro e cénico”. Nome conhecido do panorama português, tem como objeto de estudo as interceções entre “a pré-linguagem, a alteridade, a ficção científica, o som enquanto elemento de contágio e a tensão entre o sintético e a paisagem”. É um dos fundadores dos coletivos SOOPA, HHY & The Macumbas e Fujako, e passou já por várias salas, festivais e instituições culturais, a nível nacional e internacional. Como exemplo, tem-se o Palais de Tokyo, em França, o polaco Unsound, as portuenses Serralves e Culturgest, e ainda o Primavera Sound e o Sónar, em Espanha, além das crescentes colaborações com o TMP.

LITHIUM FAUST foi pensado para as temporadas de 2020/2021 e 2021/2022. As sessões vão decorrer de meia em meia hora, começando às 19h30 e estendendo-se pelas 20h10, 20h50 e 21h30. Os bilhetes têm o preço de 9€ e estão à venda nas bilheteiras físicas do TMP ou no site.

Fotografia por José Caldeira

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p