AUTOR

Diana A.

CATEGORIA
Artigo

Brunch Electronik Lisboa: quatro a não perder

29 Julho, 2018

A nova temporada de Brunch Electronik Lisboa começa este domingo, e, por isso, sugerimos quatro (dos oito) que não podem mesmo perder.

Os domingos mais esperados do ano estão a chegar e prometem ser de arromba. O regresso do Brunch Electronik está marcado já para dia 29 de julho. Esta nova edição vem carregada de novidades, mas também traz alguns regressos.

Como compreendemos que não possam ir a todos – mas não deixamos de sugerir o passe para a temporada toda – decidimos aconselhar quatro que consideramos imperdíveis:

Domingo de vida ou morte (12/08)
Neste dia o cabeça de cartaz é John Digweed, um dos grandes impulsionadores da cena britânica, e que já foi muitas vezes aclamado como um dos melhores djs do mundo. É um veterano das cabines, que tem o selo de qualidade garantido, mas ainda se junta a ele DJ Tennis, outro veterano inigualável que estamos cheios de vontade de ouvir. Neste dia a curadoria é da Life and Death e a festa promete ser lendária, pois, não bastasse Digweed e Tennis, também há Perel (live) e Mafalda.

O Brunch Electronik Lisboa está de volta – e da melhor maneira

Domingo rítmico (19/08)
O quarto domingo de Brunch é daqueles em que vai ser difícil ficar parado. Soul, jazz e ritmos eletrónicos de Detroit – e não só – é a promessa. Neste, a curadoria será da Dekmantel, que traz à Tapada o grande Motor City Drum Ensemble. Esteve pelo Porto no NOS Primavera Sound, mas a sua última visita a Lisboa foi em 2017 no Lisb-on. Este alemão é um paradoxo: retro e futurista ao mesmo tempo. Foi buscar o seu nome ‘Motor City’ à cidade onde vivia, o berço dos automóveis americano, e o ‘Drum Ensemble’ vem da sua coleção de sons de baterias elétricas clássicas, pormenor fulcral na criação da sua música. Neste dia há ainda lugar para os excelentes Palms Trax, Dekmantel Soundsystem e Ruuar.

Domingo de regressos (26/08)
Todos os domingos são bons, mas este é especial. Dá-se o grande regresso à Tapada de Dave Clark, o barão do techno que esgotou as bilheteiras na edição de 2017. Promete pôr toda a gente a saltar. Mas como uma boa notícia nunca vem só, nesse mesmo dia regressa também Vitalic. Toca em formato live para matar saudades desde a sua última atuação em 2016, e, para completar o cartaz, há ainda um belo live de Fairmont, além dos portugueses Violet e VIL b2b Temudo.

Domingo final (16/09)
As nossas recomendações trazem-nos até o último evento da temporada. Um domingo um pouco melancólico por ser o último, mas que promete ser inesquecível. Tem a curadoria da No Boring Records, mas não vai ser de todo aborrecido. O americano Seth Troxler traz a sua bagagem cheio de discos, e prepara-se para fazer um b2b com o compatriota e veterano Tiga. É preciso dizer mais? De resto, teremos talentos nacionais de qualidade a fechar o cartaz: um b2b de Gusta-vo e HNRQ e a lisboeta em ascensão Caroline Lethô.


Para além destes quatro, não descuramos os restantes brunches. Haverá música para todos os gostos a não perder: o primeiro do ano com Paul Kalkbrenner, as batidas pesadas de Amelie Lens, os afrobeats de Black Coffee, e o clássico nacional DJ Vibe numa noite com curadoria do francês Agoria. Vemo-nos por lá?

relacionados

Artigo

Deixa um comentário

t

o

p