AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Lançamento, Notícias

Vitor Joaquim constrói um imaginário sobre tempo no seu novo álbum

30 Outubro, 2020 - 14:33

Vitor Joaquim lançou “The Construction of Time” esta sexta-feira.

Acabado de estrear, “The Construction of Time” é o novo álbum de Vitor Joaquim e vem no seguimento dos discos “Nothingness” (2019), “Impermanence” (2018), “Filament” (2011) e “Flow” (2006). Afinal, como se lê em comunicado, este novo registo toca também nas “questões de tempo, fluxo, interioridade e amplitude de percepção que criamos a partir do mundo em que cada um de nós vive”.

De sintetizadores a voz, de sampling e processamento de trompete a excertos de rádio e televisão capturados durante as invasões ao Iraque, Vitor Joaquim desdobra-se em recursos para criar um disco que ultrapassa rótulos como ambient, glitch ou avant-garde. É um universo próprio que, ainda que possa ser categorizado por esses géneros, é muito mais do que isso.

Esta é uma história sobre tempo, envolvendo o ouvinte num termo que é, no fundo, “uma dessas percepções, subjetiva e intimamente dependente do nosso estado de espírito, experiência de vida, conhecimento”. “Se formos felizes”, lê-se ainda em comunicado, “sentimos que o tempo voa, se vivermos momentos desagradáveis, o tempo parece nunca acabar”. E em “The Construction of Time”, o tempo voa.

O novo disco chega cerca de três meses após o mais recente lançamento da “LIVE Series +”, gravado na Fonoteca Municipal de Lisboa, em 2005, ao lado de Nuno Moita. No final de setembro, Moita inaugurou a sua nova label Black Hole Time Warp, com uma compilação que conta com um tema do experimentalista, professor e investigador setubalense, Pitch-Black.

Disponível em CD (digipack) e versão digital, “The Construction of Time” pode ser encontrado no Bandcamp, plataforma onde o álbum inclui uma faixa bónus.

Fotografia por Vera Marmelo / Lisboa Soa

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p