AUTOR

A Cabine

CATEGORIA
Artigo

Melhores lançamentos de janeiro

10 Fevereiro, 2019 - 18:35

Janeiro foi um mês repleto de lançamentos, e a redação d’A Cabine escolheu os 16 que vê como os mais importantes.

Durante os 31 dias do primeiro mês de 2019, ouvimos álbuns, EPs ou compilações, e decidimos escolher os que mais marcaram os nossos ouvidos. Podes encontrar essa seleção abaixo, organizada por ordem cronológica, onde se incluem, entre outros, Isa de Croatian Amor, o segundo volume da série K da HAYES, Hectic Shakes de Christoph de Babalon, Rise And Shine de Substance e Faktor de Nørbak, como representado na imagem.

Reptant – Freq Accident [Planet Euphorique, 1 de janeiro]
Reza a lenda que este reptil australiano foi parar a um esgoto depois de uma tempestade e, desde então, tem estado no subsolo a trabalhar num estúdio contruído pelo próprio. E de lá nasceu este EP, o Freq Accident. Uma descoberta que deixou parte da redação boquiaberta dada a qualidade, diversidade e irreverência deste artista enigmático. Há electro, techno, breakbeats, bleeps, acid e basslines alienígenas. Uma release completa, do underground para o underground.



Vários Artistas – HYMN [00:NEKYIA, 5 de janeiro]
O novo projeto lisboeta apresentou-se recentemente com HYMN, compilação editada no início de janeiro e que conta com 27 faixas de diferentes músicos e produtores. Entre eles, ouvem-se dois dos responsáveis pela editora – Afonso Ferreira como FARMWARTH, Rui Andrade como Canadian Rifles, e ambos como HRNS – e explosivas faixas como Bass Tool de BLEID. Lançamento obrigatório de se ouvir e explorar.



Nørbak – Faktor [Warm Up Recordings, 7 de janeiro]
A Warm Up Recordings do espanhol Oscar Mulero é a editora que edita o EP Faktor de Nørbak. O EP é composto por sete faixas de techno hipnótico onde o produtor nortenho mostra toda a sua perspicácia e mestria. Este trabalho sucede a sua participação na compilação Unknown Landscapes vol. 6 do português Lewis Fautzi para a Polegroup com a faixa Vobe, e antecede o lançamento do seu EP para a Edit Select, Atue, o que desde logo revela que Artur Moreira é um produtor (e dj) para manter debaixo de olho.



Apart – Nothing Is Eternal [trau-ma, 7 de janeiro]
Já estávamos com saudades de ouvir música de Apart. Ainda que tenha atuado no último Festival Forte, por exemplo, as passagens pela Soniculture entre 2015 e 2017 – com os trabalhos Paradox, Mental Issues e Illusion – afirmaram o produtor português como um a não largar de vista. Em Nothing Is Eternal, Apart conta, através de sonoridades deep e techno, uma das melhores histórias do mês.



Grey Code – Reprieve [Metalheadz, 7 de janeiro]
Grey Code é um nome relativamente recente na cena drum’n’bass, mas a qualidade das suas produções deixavam adivinhar que voos mais altos se avizinhavam. A Metalheadz esteve atenta, e é com Reprieve, deste artista de Bristol, que inicia 2019. Um trabalho talhado para a lendária editora, com a sonoridade que desde logo, ao escutar, se cataloga imediatamente como “à la Metalheadz”.



Vários Artistas – Intera Vol.1 [Intera, 8 de janeiro]
A compilação do coletivo de Caroline Lethô e Telma saiu no dia 8 de janeiro, e já foi celebrada a 11 com uma apresentação no Damas Bar, com zero_one em formato live, Kerox e Tsuri b2b Telma. Depois dessa passagem por Lisboa, a editora apresenta TrigHer em formato live, Caroline Lethô e ppueblo numa celebração a acontecer no Passos Manuel, no Porto, a 16 de fevereiro. Ainda assim, antes e depois disso, é imprescindível ouvir (ou voltar a ouvir) o primeiro volume da Intera.



Pom Pom – Untitled II [A-TON, 11 de janeiro]
Depois de o alemão assinar o EP Untitled na Ostgut Ton em 2018, Pom Pom começa o ano com Untitled II, o primeiro álbum na editora alemã, neste caso através da irmã A-TON. Ouvem-se baterias acústicas (e não só), sintetizadores, bleeps e muito mais, tudo numa viagem que passa por paragens ambient, dark, ebm, techno, industrial, enfim. É ouvir para crer.



Re:Axis – The Inside River [Monocline, 11 de janeiro]
O patrão da Monocline Records leva-nos rio adentro com The Inside River, onde assina quatro faixas techno perto das 130 bpm. Cada uma das músicas é hipnótica e vibrante à sua maneira, revelando-se como autênticas armas para qualquer pista. Mas mais do que isso, Re:Axis explora a percussão, as melodias ou os baixos de forma consistente e sensata, encaixando-se perfeitamente nos nossos ouvidos.



Vários Artistas – Compilation v5 [Arctic Dub, 15 de janeiro]
Desde atomic number 85 de astatine (Joanna Jago e Deployment Strategies) até Lyrica de Existente, a quinta compilação da Arctic Dub, editora baseada no Porto, leva-nos por caminhos ambient, dub ou experimentais numa envolvente atmosfera transversal a toda a compilação, afirmando o excelente trabalho de curadoria do lançamento, que esteve a cargo de dois homens da label, Dave Wesley e Gabi von Dub.



Christoph de Babalon – Hectic Shakes [Alter, 18 de janeiro]
Hectic Shakes é o título do estrondoso EP com que o alemão Christoph de Babalon se estreia na londrina Alter. Neste trabalho, de Babalon volta a evidenciar e a explorar o seu lado mais ambient, ao qual se juntam breakbeats ou sonoridades drum’n’bass para quatro músicas altamente atrativas e estonteantes. O veterano de 69 anos passou recentemente pela Galeria Zé dos Bois, e, tal qual essa atuação, a escuta deste EP é obrigatória.



James Blake – Assume Form [Polydor Records, 18 de janeiro]
Apesar de estar longe de ser a primeira escolha da equipa, não podíamos deixar passar impune o lançamento do quarto álbum deste nome da eletrónica. Recheado de contribuições de artistas como Rosalía, Andre 3000 e Travis Scott, em Assume Form o londrino explora, e converge, géneros como o pop, electropop, hip-hop e R&B envoltos da eletrónica sentimental e melancólica que o caracteriza. É mais um trabalho de palco do que de pista, e que teremos oportunidade de presenciar a 7 de junho no Nos Primavera Sound, no Porto.



Vários Artistas – HYS.K002 [HAYES, 22 de janeiro]
O coletivo da Hayes volta a editar um VA da série K, HYS.K002. Temudo, menosdois, VIL, CRAVO, Enkō, Nørbak, Kids on Acid, Yanamaste, Uväll e Kjærest são os produtores que contribuíram para esta compilação cheia de sonoridades vertiginosas, carregadas de textura e com uma estética própria e uniforme. A Hayes celebrou em novembro de 2018 o seu primeiro aniversário, e resta-nos aguardar pelo futuro próximo deste talentoso coletivo – a ouvir este VA, por exemplo.



Substance – Rise And Shine [Ostgut Ton, 25 de janeiro]
Já passaram mais do que 20 anos desde que Substance editou os seus primeiros lançamentos na Chain Reaction da dupla Basic Channel, e a experiência do produtor escuta-se na perfeição ao longo dos 20 minutos de Rise And Shine. O alemão também conhecido por DJ Pete apresenta um EP rico em detalhes e camadas envolvidas em altas explorações sonoras, sendo Cruising a única faixa direcionada para os padrões mais correntes.



Croatian Amor – Isa [Posh Isolation, 25 de janeiro]
Mais do que um trabalho virado para a eletrónica ambient ou experimental, Isa é um álbum cheio de elementos variados, sejam eles fatores tão distintos quanto breaks, vocais repletos de beleza ou sonoridades que nos levam para um imersivo estado de trip. Este disco do dinamarquês Croatian Amor poderia facilmente ser a banda-sonora de um drama ou suspense, mas, neste caso, somos nós quem escrevemos o argumento ao ouvir cada uma das nove músicas.



Ellen Allien – UFO [UFO Inc., 28 de janeiro]
Depois de quase 20 anos ao leme da BPitch Control, Ellen Allien decide abarcar numa aventura paralela. Eis que surge UFO Inc, a nova editora desta artista icónica de Berlim que pretende focar-se em sons de hardware, para uma abordagem mais pesada e crua ao techno contemporâneo. E é com duas faixas, assinadas pela própria, que a viagem começa. UFO é um EP para corpo e mente, e, claro, para nos levar numa odisseia pelo espaço.



VOX99 & VIL – Zona [VXSM, 28 de janeiro]
O canal de YouTube HATE disponibilizou recentemente o EP Zona para stream, mas a compra deste 12” é, assim como a escuta, obrigatória. Procurem-no nas lojas físicas (como a Carpet & Snares, em Lisboa) ou online, mas certifiquem-se de que apoiam o primeiro lançamento da VXSM, que chega pelas mãos do patrão Vox99 e de VIL, e que inclui quatro músicas de alta intensidade techno.

relacionados

Artigo

Deixa um comentário



t

o

p