AUTOR

A Cabine

CATEGORIA
Artigo

Lançamentos favoritos de julho

8 Agosto, 2022 - 19:55

10 trabalhos que ainda hoje correm por aqui.

Beyoncé – RENAISSANCE [Columbia]

Não tenho autoridade para falar sobre um disco que aborda a importância sem igual da música negra (de dança, neste caso) ou a relevância da luta LGBTQIA+. Mas posso dizer, no entanto, que é um dos discos pop do ano. De Honey Dijon a Kelman Duran, a passar por nomes como Grace Jones ou Green Velvet, Beyoncé conta com uma equipa de luxo em “Renaissance” e mostra com clareza o seu tamanho e o da sua música. É música de dança para todos os ouvidos e é imperdível. DD

Fleck E.S.C. – Walking Free [Woodwork Recordings]

Stingray, Helena Hauff, Dr. Rubinstein… esta dica é para vocês — como se precisassem. “Walking Free” está repleto de electro digno de constar nos vossos sets, nomeadamente na onda sombria e psicótica de B-Love, e na tonalidade mais rejubilante de Walking Free. A paixão de Fleck E.S.C. pelas bandas-sonoras assustadoras e cinematográficas de filmes de terror/sci-fi servem de acompanhamento perfeito às batidas do electro/techno preconizadas pelo francês. RC

LWS – Aerosol [Redstone Press]

Numa deambulação random pelo SoundCloud, fomos atropelados pelo carácter distinto de Spoker (uma das faixas presentes neste EP). “Isto cheira a Hessle Audio”. Mas não era. Fomos perscrutar o restante trabalho de “Aerosol”, e do produtor de Glasgow LWS, e ficamos agradavelmente surpreendidos com a criatividade e a fuga aos cânones típicos da eletrónica 4×4. Não é um EP para todos os ouvidos, mas para os que gostam de ser desafiados com sonoridades diferentes, aqui está uma belo filet mignon. RC

Makèz – Holy Sun EP [Heist Recordings]

Depois do seu brilhante LP de estreia “City of All” em 2021, o duo de Amesterdão Makèz está de regresso à prolífica Heist Recordings. Em Holy Sun, o destaque vai para a faixa homónima do trabalho, que está repleta de um feel-good mood, sob a forma de um crossover subtil entre a eletrónica e a tonalidade jazz emanada pela musicalidade dos vocais de Ava Lava. O remix de Retromigration trata de a incorporar – e muito bem, diga-se – no campo do deep house. Outra faixa que adoramos foi La Grand Folie, um broken beat que parece ter sido resgatado de uma jam veranil de uma banda de jazz/eletrónica. Bem gostosa, portanto. RC

Moor Mother – Jazz Codes [ANTI-]

Afrofuturismo sem igual assinado por um nome que teima em não falhar e em providenciar alguma da melhor música exploratória que tem sido feita. Exploratória não só sonicamente, mas também enquanto meio de expressão para uma verdadeira e quase-inigualável artista. Moor Mother é poeta, é ativista e é, entre tantos ofícios, uma maga a criar histórias em formato de álbum.

OITO//OITO – Raiz

Viva a música portuguesa e viva esta brilhante edição dos OITO//OITO pela sua própria editora. Música ácida para entrar em transe com vocais portugueses ou com linhas de baixo e melodias efervescentes e viciantes, brilhantemente rematada por dois remixes igualmente notáveis de Switchdance e Terra Chã. O melhor é ouvir. E dançar, claro. DD

Section – The Fourth Hour [Counterpoint]

Após quase 8 anos de existência, aqui está o primeiro álbum da portuense Counterpoint Recordings. E que álbum! “The Fourth Hour LP” é também o álbum de estreia do veterano britânico Section, que aposta em sonoridades pouco exploradas no catálogo da editora, acrescentando paisagens sónicas mais maturadas e conteúdo rítmico diferenciado. Daydream, Nozomu e Fly to Me são as nossas faixas favoritas, mas escutem todas e tirem as vossas próprias conclusões. Difícil não olhar para este como só um dos melhores lançamentos nacionais de drum’n’bass de sempre.

Vil, Cravo – The Reese [Be As One]

Vil e Cravo são dois dos grandes nomes da música techno em Portugal. Não fosse isso verdade e não teriam tanto reconhecimento e datas lá fora. Editado pela Be As One, “The Reese” é, depois da passagem pela Klockworks, uma confirmação da maturidade destes dois nomes em estúdio. Como dupla, assinam músicas como as quatro que se encontram por aqui: rápidas, tecnológicas, inspiradas tanto nos anos 90 como no contemporâneo. Enfim, bombas atrás de bombas para qualquer pista techno deste globo. DD

Vários Artistas – Chromosphore Vol 2 [Slow Life]

Pela segunda vez, a Slow Life reúne um conjunto de artistas que costuma hospedar no seu catálogo e lança um álbum coletivo. Além de Laurine, Cecilio e Alex Neri, eventualmente os mais associados à editora, “Chomosphore Vol. 2” conta também com o contributo de outros menos habituais a entregar discos, como Formas, Lost Twin e Indi Zone. Entre os mais veteranos e os que começam a trilhar o seu caminho, a Slow Life sabe bem o que pretende: um som característico e muito próprio, que combina a intensidade da música eletrónica com a sua dimensão celestial e transformadora. Refrescante! NV

Vários Artistas – Reunidos [INFINITA]

Não somos muito de nos intrometer ou de cuscar grupos de amigos fora do nosso meio, mas, neste caso, o melhor é mesmo espreitar pela janela e ouvir aquilo que Hugo Vinagre, Isis Mellow, Renas Sense e Sara Varela andam a compor. Dub, house e não só, numa prescrição médica que enche as medidas da melhor maneira e que é ideal para celebrar, nas palavras da editora, um “verão sem amores”. DD

Textos por Daniel Duque, Nuno Vieira e Rui Castro

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p