AUTOR

A Cabine

CATEGORIA
Artigo

Os atos nacionais que passam pelo Neopop

10 Agosto, 2022 - 16:30

Um pequeno apanhado dos nomes portugueses que vamos ouvir na edição de 2022 de Neopop.

A 15ª edição do festival Neopop arranca esta quarta-feira e estende-se até à manhã de domingo, dia 14. Durante as quatro noites, mais de 50 atos passam pelo Forte de Santiago da Barra, em Viana do Castelo, e não poderiam faltar nomes nacionais, pois claro.

Esta quarta-feira, dia 10, está repleta de portugueses. Serginho e Zé Salvador voltam a juntar-se em back-to-back no Neo Stage – primeiro às 17h e depois às 21h30 – num momento que ficará marcado pela troca de vinis entre o portuense e o lisboeta, dois nomes bem experientes do cenário. Nesse palco, a noite conta ainda com Mogwaa (live), Cobblestone Jazz (live), Dea e Peggy Gou.

Já no Anti Stage, esta quarta-feira, Frank Maurel (2h30) será novamente o responsável pelo encerramento da noite, que nesse palco terá também Nuno Carneiro (17h), Francisca Urbano (18h30), Diana Oliveira (21h), Freshkitos (01h) e Paul Ritch (live). Dois dos destaques têm de ir para as atuações ao vivo de Pixel82 (20h) e Salbany (22h30) – o primeiro deve centrar a sua hora no novo álbum, “Infinity”, e o segundo irá mostrar por que razão tem um dos live acts techno mais excitantes do país.

Chegados a quinta-feira 11, o Neo Stage abre às 18h com quatro nomes que levam até Viana de Castelo malas repletas de vinis: Tiago Carvalho e Vasco Valente em b2b (18h), Tiago Marques (19h30), Cruz (21h) e Rui Vargas (22h30). Cada qual à sua maneira, são quatro atos que provam parte da qualidade que há por cá. É possível que Vargas seja especialmente delicioso, não estivesse ele responsável por abrir caminho para Honey Dijon.

O Anti Stage não fica nada atrás e, na quinta-feira, abre com Ana Pacheco, também às 18h. A portuense é conhecida pela capacidade de misturar e explorar diferentes sonoridades e abrirá caminho para um back-to-back entre DJ Lynce e Tendency (19h30), outros dois porta-estandartes do DJing no Porto que já conhecem este palco.

Esse b2b, provavelmente só de vinis nas mãos, deve caminhar por diferentes mundos (muito electro no cardápio é forte possibilidade) e o mesmo deve acontecer com Violet e Photonz (21h), que certamente prometem um set variado e afastado de uma só estética.

Na sexta-feira, dia 12, há apenas dois atos nacionais no Neo Stage: Cardia (18h) e Switchdance (20h). Ambos devem acertar o passo de forma exemplar, mas nesse dia vamos estar especialmente virados para o Anti Stage. Afinal, Brusca (18h) e Jesterr (20h) são dois nomes que têm chamado a particular atenção nos últimos tempos e, como se não bastasse, há Backbone (22h) e Vil (1h), dois DJs cada vez mais indissociáveis quando se fala em raves de techno português.

No Neo Stage, na última noite, a festa arranca às 22h com DJ Legwarmer (22h) no Neo Stage. O membro da No, She Doesn’t promete levar a energia que lhe é característica até a esse grande palco, que recebe depois um live act da dupla 2Jack4U (0h30). Depois da atuação brilhante no Anti Stage em 2019, o casal de Cascais será garantia de máquinas a expelirem acidez que não deixará ninguém parado.

Já no Anti Stage, depois de Tiago Fragateiro e Ruuar abrirem o palco, Lewis Fautzi (7h30) volta a ser um dos responsáveis por servir o pequeno-almoço nesse lado do festival. Desta vez, no entanto, não será o português a fechar a festa, mas sim Daria Kosolova (9h30), por volta da mesma hora de Ricardo Villalobos no Neo Stage.

Por esta edição de Neopop, recorde-se, passam também nomes como Amelie Lens, Zadig, Hessle Audio, Leon Vynehall, Paula Temple, 999999999, Héctor Oaks, Dax J, Adiel, Jeff Mills ou Ricardo Villalobos.

Podes consultar os horários na íntegra aqui.

Fotografia por Rúben Marrocos

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p