AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Reportagem

Brunch Electronik Lisboa S3E8: Season Finale

25 Setembro, 2018

É verdade. Depois de oito episódios, a terceira temporada do Brunch Electronik Lisboa chegou ao fim com Amelie Lens a protagonista.

Depois de sete domingos na Tapada da Ajuda, o recinto do Brunch Electronik Lisboa recebeu o último evento da temporada – ainda que a organização já tenha confirmado o episódio de Halloween, Bruncher Things 2. Na realidade, esta rave chegou a estar marcada para dia 5 de agosto, mas um aviso de alerta dado um “risco de incêndio” levou ao cancelamento por parte das autoridades. Trouxe duas coisas positivas, no entanto: Milo Spykers veio acompanhar Amelie Lens e Farrago (e os portugueses), e a belga acabou por ser a responsável por encerrar a temporada.

Também com grande responsabilidade esteve Sonja, fundadora da Labareda que abriu a pista às 14h. Até às 15h30 e num calor infernal, o conforto, o vasto espaço disponível nas primeiras horas ou as ventoinhas ajudam, mas a música faz compensar tudo. Apesar das condições do espaço, são djs como Sonja ou Tiago Fragateiro, que subiu à cabine depois daquela que é também mestre a desenhar cartazes, que agarram à medida que nos deliciam os ouvidos. Ao longo da temporada deste Brunch Electronik, aliás, fica a ideia de que os “nossos” djs – como Mafalda, Rui Trintaeum ou VIL b2b Temudo, só para mencionar alguns – são tão mestres quanto aqueles que encabeçam cartazes.

Ainda assim, era a editora de Amelie Lens que estava em maioria. O primeiro dos três membros da LENSKE começou às 17h, hora em que o recinto estava nitidamente mais cheio. Assim como Lens e Farrago, Milo Spykers representa a cena belga, e, neste caso, veio representar o seu primeiro EP, Infinite, à capital. Deste lado, o destaque foi ouvir a voz de Good Life de Inner City acompanhada por techno vibrante.

previous arrow
next arrow
Full screenExit full screen
Slider

No fundo, Spykers foi uma boa preparação para Farrago, que entrou destemida e intensamente na cabine às 18h30. Apesar do seu set ter ficado marcado por aquele 4/4 que não dá hipótese às pernas, também explorou outras sonoridades, mas sem fugir da ideologia com que começou – mesmo ao escolher A Blunt de DJ Slugo, por exemplo. Perto do fim, o belga abrandou o momento com Move Your Body de Xpansions, música com que os presentes tanto se deliciaram. Afinal, a favorita dos fãs Amelie Lens estava prestes a assumir o comando do Brunch.

Incisiva e estonteante, assim entrou Amelie Lens. Estes adjetivos servem também para descrever o restante set da patroa da LENSKE, mas não são suficientes, especialmente tendo em conta a exaltação que se ouvia – cortes ao volume, por exemplo, davam literalmente azo a gritos. É certo que muitos já esperavam por este momento desde o início de agosto, e talvez se possa justificar tamanha celebração com isso. No entanto, e acima de tudo, a mistura de Lens é cortante, dissipando completa e constantemente o nosso cérebro. Por entre produções originais, como Jealously (com Farrago), ou não (inevitável destaque para Trance & Acid de Kai Tracid), a dj terminou com In Silence depois de um silêncio de quase 10 segundos. O certo é que a pista não fez silêncio.

E no último episódio da terceira temporada de Brunch Electronik Lisboa também houve música depois dos créditos, claro. No habitual Ministerium, o suposto cartaz do after era composto por Farrago, Tiago Fragateiro e Ramboiage. Mas não. Amelie Lens também esteve na cabine ao lado de Farrago (e de Milo Spykers). Segundo testemunhos, um extasiante culminar de uma autêntica rave que teve início às 14h. Só é pena não termos ido lá gastar a energia que sobrou.


Fotografia por André Teixeira

relacionados

Reportagem

Deixa um comentário

t

o

p