AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Crónica

Havemos de dançar em Viana

3 Agosto, 2017 - 16:00

Chegar à cidade de Viana do Castelo é chegar a um dos locais mais marcantes da cena techno portuguesa nos últimos anos. A história da música eletrónica em Portugal remonta há muito mais tempo, mas por entre espaços, espetáculos e outro tipo de eventos, foi nesta cidade que um grupo de amigos apostou num dos festivais de música eletrónica mais requisitados da Europa.

Qual Gil Eanes a desdobrar o Cabo Bojador, o Anti-pop, agora NEOPOP Electronic Music Festival​, desdobrou o estigma dos portugueses no que diz respeito a festivais especializados nesta vertente. Segundo um artigo de Luís Filipe Rodrigues no P3, Neopop: uma história escrita com tinta electrónica, foi a própria Câmara Municipal de Viana do Castelo que convidou os organizadores a apostarem no Forte de Santiago da Barra como palco para os inúmeros e míticos nomes que por lá passaram.

Ao mesmo tempo que FRESHKITOS​ atuam pela 12ª vez – e MAGAZINO também não está longe desse número –, também veteranos como Danny Tenaglia e Kraftwerk​, ou até estreias internacionais como as de Courtesy e Avalon Emerson, vão guiar as hostes nas cabines do NEOPOP. Com eles, havemos de dançar em Viana.


Desta vez, no entanto, lado a lado com A Cabine.

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p