CATEGORIA
Notícias

Morreu aos 65 anos Richard H. Kirk, dos Cabaret Voltaire

21 Setembro, 2021 - 16:02

Entretanto confirmada pela página oficial dos Cabaret Voltaire, a notícia foi avançada pela Mute esta terça-feira.

Faleceu o fundador dos Cabaret Voltaire, Richard H. Kirk, com 65 anos, avançou a editora britânica Mute no Twitter esta tarde. À data da publicação, a causa da morte é ainda desconhecida. A banda, que recentemente era composta apenas por Richard, quebrou em novembro um hiato de 26 anos com o lançamento de “Shadow of Fear”.

“Richard era um génio criativo colossal que levou um caminho singular e determinado em toda a sua vida e carreira musical. Vamos sentir imensa falta dele”, avança a label, atentando ainda um pedido de “espaço para a família” do artista.

Richard nasceu em 1956, na cidade de Sheffield. Nos anos 70, começava a sua especialização em música eletrónica e em 1973 dava início a Cabaret Voltaire, uma banda batizada segundo o clube do mesmo nome em Zurique, núcleo do início do movimento dadaísta. Juntamente com Chris Watson e Stephen Mallinder, fundia eletrónica e música concreta – criada a partir da edição de sons naturais e industriais -, num percurso que veio a influenciar grupos como Depeche Mode, New Order e tantos outros.

Deram o primeiro concerto em 1975 e, três anos mais tarde, assinavam contrato com a gravadora independente Rough Trade. Prolíferos visionários, são autores dos EPs “Extended Play”, “Nag Nag Nag” e “Three Mantras”, lançados entre 1978 e 1980, e editaram ainda os álbuns “Mix-up” (1979) e “The Voice Of America” (1980). O ano de 1981 marca a conceção de “Red Mecca” e o afastamento de Chris Watson da banda. Kirk e Mallinder viraram-se para um lado algo mais comercial nos dois anos seguintes, assinando “The Crackdown” e “Micro-Phonies” pela Virgin Records.

À entrada da década de 90, focaram-se na eletrónica com “Groovy, Laidback & Nasty” (1990) e várias assinaturas pela Plastex e a Apollo, entre as quais, “Plasticity” e “The Conversation”, ao qual se seguiu um período de interrupção de mais duas décadas. Com a dissolução da banda, restava Richard Kirk, que voltou às apresentações ao vivo a partir de 2014. Com a regra de que criaria apenas material novo dali em diante, depois de “Shadow of Fear”, lançou também pela Mute o EP “Shadow Of Funk” e dois longa-duração intitulados “Dekadrone” e “BN9Drone” este ano.

Além de atuar a solo pelos Cabaret Voltaire, arquitetou também Sandoz, Electronic Eye e Trafficante, pseudónimos com os quais explorou outras vertentes da eletrónica, como o downtempo e não só. Colaborou também com vários nomes, como DJ Parrot (Richard Barratt).

Nas redes sociais, vários nomes têm reagido à morte de Richard H. Kirk:

Direitos de imagem reservados

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p