AUTOR

Daniel Duque

CATEGORIA
Artigo

7 faixas que ouvimos no Neopop

13 Agosto, 2019 - 17:50

Das centenas (milhares?) de músicas que ouvimos na 14ª edição de Neopop, escolhemos sete que, por uma razão ou outra, foram especialmente marcantes.

Desde a incontornável Born Slippy .NUXX, música com que Underworld terminaram o seu concerto na primeira noite de Neopop, até Singularity de Jon Hopkins (o remix de ANNA), reconhecível faixa que fez vibrar corações durante o grand finale de Laurent Garnier, foram vários os momentos que guardamos na memória durante o festival vianense.

Entre esses, as furiosas Raw Trax 7 de Surgeon, tocada por Ben Klock na terceira noite de Neopop, e Value of Icons de Nørbak & Temudo, misturada por Rødhåd na última noite, mexeram também com os nossos cérebros e, especialmente, com as nossas pernas.

Com pouca gente na pista dada a afluência de pessoas em Amelie Lens, Ivan Smagghe tocou a brilhante Superior Things de CYRK, faixa que revela a loucura vivida durante o set do dj e produtor francês. Mais ainda, outras duas músicas que nos tocaram durante o festival foram Raider do duo holandês Museum, selecionada por Jeff Mills, e um remix de Love de Luke Slater, escutado durante o set de encerramento de DJ Deep b2b Zadig no Anti Stage.

Sem mais demoras, ouve a nossa pequena seleção abaixo.

Born Slippy .NUXX, tocada por Underworld

CYRK – Superior Things, tocada por Ivan Smagghe

Surgeon – Raw Trax 7, tocada por Ben Klock

Museum – Raider, tocada por Jeff Mills

Nørbak & Temudo – Value Of Icons, tocada por Rødhåd

Luke Slater – Love (Marcel Dettmann Black Gloves Remix), tocada por DJ Deep (em back-to-back com Zadig)

Jon Hopkins – Singularity (ANNA remix), tocada por Laurent Garnier

relacionados

Deixa um comentário


t

o

p