AUTOR

A Cabine

CATEGORIA
Artigo

Lançamentos favoritos de abril

13 Maio, 2022 - 15:49

Não podemos esquecer abril sem vos apresentar alguns dos discos que não nos cansamos de ouvir nesse mês.

ASC – Sphere of Influence [ASC]

James Clements lança por conta própria o “Sphere Of Influence”, constituído por quatro faixas de drum’n’bass com notáveis influências de jungle e atmosferas divinas. Entre moods dreamy e synths luminosas, para além de encontrarmos o 4/4 convencional, ao fechar, ASC apresenta-nos um tema delicioso, fresco e tranquilizante em 3/4. JF

Alberto Vieira – Zeca Vai à Praia [Costa Nova]

Editado pela Costa Nova, “Zeca Vai à Praia” não é necessariamente o tipo de disco que paira por estas nossas listas, mas, no mês da liberdade, ficámos fascinados com esta desconstrução baleárica da obra de Zeca Afonso. Por aqui, o músico Alberto Vieira assina cinco temas altamente convidativos – seja pelas percussões, pelas guitarras ou pelas vozes ocasionais que preenchem o espaço de forma deliciosa – e que não se cingem a um contexto. Ouça-se Era um Redondo Vocábulo e Tarkovsky, por exemplo, e percebe-se logo que este trabalho (gratuito!) tanto dá para fechar os olhos como para mexer o corpo.

Brunch.wav – Float EP [Music.Art.Ppl]

Sim, sim. Nós também achamos que Brunch.wav era um nome, no mínimo, curioso. Portanto, resolvemos espreitar as faixas deste EP, e ficamos agradavelmente surpreendidos. Se gostas de house subtil, minimalista, deep e super gourmet, ouve Temporary e Minimal. Já perdemos a conta aos plays que lhes demos, e felizmente os algoritmos estão a acertar na mouche quanto às sugestões que daqui advieram. RC

Duowe – Afterwork Special [Magic Carpet]

A Magic Carpet é uma das editoras mais vibrantes que nasceram em Lisboa nos últimos anos – e que sorte a nossa! Com o primeiro disco (agora raríssimo) lançado em 2020, a qualidade dos curta-duração escalaram a reputação da editora, que ainda o mês passado ocupou o Lux Frágil até de manhã. Com incursões de breaks, house e electro, este é o sétimo trabalho do catálogo e chama-se “Afterwork Special”. Agarrem-no enquanto podem, porque o mais provável é esgotar, tal como os anteriores. NV

Hidden Agenda – One Time [Tempo Music]

“One Time” é um EP de três faixas que abre lugar para o trancestep cósmico, liquid funk e até uma faixa de breakbeat bem funky e acid. Hidden Agenda foram um dos nomes pioneiros na cena super sónica, com lançamentos atmosféricos e lounge na Metalheadz, Creative Source ou Reinforced, e mais tarde em editoras como a Dispatch e, agora, na Tempo, de DJ Trace. JF

Jorge Caiado – New Garden [Carpet & Snares]

Jorge Caiado é uma das maiores referências na cultura underground do nosso país. Seja a cruzar discos, ou no estúdio, a dedicação que entrega a esta causa (maior!) dificilmente deixa alguém indiferente. É só escutá-lo ou, neste caso particular, escutar o seu último disco, intitulado “New Garden”, e prestar reverência à sua competência. Ainda que diferentes, os três temas que compõem o curta-duração são igualmente brilhantes e, para quem não souber o que esperar, deixamos a nota: não vale a pena pensar muito, este trabalho é autêntico. NV

Kelly Lee Owens – LP.8 [Smalltown Supersound]

“LP.8” não é um álbum de techno pop, como aquele que ouvimos em “Inner Song”. Há alguma influência de música de dança aqui e ali, mas este é, no entanto, um disco de Kelly Lee Owens que nos permite entrar pelas entranhas da música galesa – as entranhas do seu ser. Ao longo de mais de 40 minutos, há por aqui tantos synths quanto pianos, tantos graves quanto melodias, tudo envolvido numa receita executada de forma irrepreensível. É um disco pessoal do qual queremos fazer parte.

Kiyotaki – When Are You Coming Back

João Rodrigues, produtor das Caldas da Rainha, apresenta este novo EP de forma independente no seu Bandcamp. São quatro temas de atmosferas tranquilizantes, como é caso de Glorious, de breakbeat, e a WAYCB, de microfunk altamente detalhado. Este é o primeiro lançamento de Kiyotaki este ano e, só para relembrar, é um dos nomes a ter em conta no universo de drum’n’bass português. JF

Pongo – Sakidila [Universal]

A voz de Kalemba (Wegue Wegue) tem mostrado desde discos como “UWA” o quanto é capaz de assinar música festiva e própria da qual não nos cansamos. Este é apenas mais uma das muitas provas. Bem pop, “Sakidila” apresenta composições que põem qualquer pessoa neste globo a dançar. Há dúvidas? Experimentem a brilhante Bruxos.

Recut – Disco Chicago EP [Recut Music]

Alguém pediu um hardstyle pesadão? Não?! Ainda bem, porque em nada se assemelha com este lançamento. Em “Disco Chicago”, o veterano Recut apenas fornece house, acid e disco, resgatados dos primórdios das sonoridades de Chicago. Sabemos que somos suspeitos – ou não fosse este segmento intitulado “lançamentos favoritos do mês” – mas acreditem quando vos dizemos que este EP está assombrosamente bom. E sim, assombrosamente é mesmo o advérbio mais adequado, até porque faixas como a homínima Disco Chicago, It´s all in your mind (Recut re-edit) e House Intensity dificilmente vos vão dar tréguas nos próximos tempos. RC

Retrospect – Underground EP [Outhouse Sounds]

Não, não é Gonçalo Soares, o DJ gaiense de drum’n’bass que há uns anos debitava technoid, deep e neurofunk, ocasionalmente, pelas pistas portuenses. Este Retrospect reside no UK, e aposta nos ritmos mais pausados do UK bass, breakbeat, garage e electro. Se confiarem nos nossos gostos, confiram (sobretudo) a faixa Planet House. Electro minimal, daquele pleno de groove, como se quer. RC

Sensible Soccers, Carlos Maria Trindade – Fornelo Tapes, Vol. 2 [ESFERA]

Sensible Soccers e Carlos Maria Trindade. É preciso dizer mais? OK, nós dizemos: Sensible Soccers e Carlos Maria Trindade.

Silvestre – Sossegado

Silvestre não anda aqui para brincadeiras, por muito que algumas produções de outros discos tenham um tom humorístico. Silvestre é boss e este álbum de estreia mostra por que razão. Bem equilibrado, tanto quanto se espera de um formato destes, o DJ e produtor não se limita a entregar músicas enérgicas. Há por aqui faixas calmas (ambient, até) que estimulam ainda mais a energia quando se escutam momentos como Madrugada ou Começar de novo. Breaks, electro e muito mais, tudo assinado por um dos nomes portugueses que melhor domina estas sonoridades. DD

Vários Artistas – Anniversary Sampler 04 [Gestalt Records]

Continuam a existir vários DJs interessados em combinar diferentes estilos nos seus sets, com a confiança de que assim são capazes de despoletar mais e profundas emoções. Para eles, e para nós que os ouvimos, um disco destes é particularmente interessante. Difícil de categorizar, tem a valência de cruzar estilos, todos eles estimulantes, e de nos deixar intrigados, mental e fisicamente. Oriunda da Estónia, esta editora, que alimenta DJs e corpos dançantes, é merecedora de atenção. NV

Textos por Daniel Duque, João Freitas, Nuno Vieira e Rui Castro

relacionados

Deixa um comentário






t

o

p